quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

blog/amaliatavaresmensagens


Foi assim mesmo que comecei o ano. Despertei para a vida. Sem grandes planos. Sem expetativas. Sem pensar muito. Sem sondar ninguém. Chamem-lhe ressaca de dor de amor ou de querer viver, chamem-lhe chamamento, chamem-lhe o que quiserem. Simplesmente, decidi quero viver na leveza que meu coração sente, que me alma chama. Quando urge a necessidade de sentir, o melhor é mesmo agir.
Separei alguns livros, pintei meu quarto de amarelo, abri as portas do meu guarda roupa, e La estou eu... Agradecendo cada peça que um dia me fez feliz. Outras não tanto... E me despedindo colocando em um caixa ao lado, separei bons livros para agregar bons momentos. – A confiança e sentido uma coragem ao peito, como se fosse desbravar florestas inteiras ao desconhecido!

Não consigo explicar para onde foram os meus receios e medos que me paralisam em cada decisão que tenho de tomar. Não consigo explicar como adorei em estar sozinha neste tempo todo, afastando os fantasmas antigos e medos, sentimentos que não mais me fazem falta!
Hoje quero dobrar cada esquina e ter uma descoberta e uma experiência para todos os sentidos.
Sentir os olhos com emoção quando me deparo com as surpreendentes surpresas da vida! Imagino a vida dentro de cada um com seu próprio mundo e suas próprias escolhas de irem e virem a qualquer hora do dia seguindo direções e sonhos que posso realizar!,
Onde consegui por vezes vislumbrar com a luz e sons que o silencio da vida me mostra em suaves sussurros.
Perdi-me muitas vezes sentindo no meio de tantas cores e cheiros e encontrei-me como se devolvessem a vontade de coisas que não crio há anos. Demorei-me em meus próprios pensamentos dando vazão por coisas que ainda quero viver! Vejo-me envolvida com os sons que a musica traz em minha alma, nas palavras que digito em paginas em branco criando uma nova historia. Deixei-me seduzir pelas verdades e vontades e as surpresas que vida traz. Deslumbrei-me com a chegada do inesperado e com isso espelhar como as luzes sem fim que me envolve em desafios que é hora de seguir, sem medos e sem receios...
Andei por estes caminhos e quero continuar andar. Não quero perder nada. Quero mais. Quero tudo o que tenho deixado passar por mim nesta vida. Quero ir até onde me fosse permitido. Naquele que me acolhe e me oferece tudo o que pôde no tempo que lhe dei. E que me dei.
Reencontrei uma parte da minha essência, que andava perdida no lugar mais seguro do mundo e onde sempre vivi. Sou tanto. Tenho tanto para dar. O mundo tem tanto para me dar.
E de ter a alma a transbordar de tão cheia, numa das noites de volta a casa, fui brindada com a aparição da alegria em meu coração, ao sentir a minha presença, e estar comigo mesma e sentindo eu mesma e a vida me fitando com os olhos de um colorido que há muito tempo eu não via.
Ontem, Hoje, passando se horas, dias, semanas, meses e talvez anos relembrando esta viagem para dentro de mim mesma e este momento em particular, e imagino-a a vida piscar-me o olho.
E acredito que havemos de nos encontrar novamente. Talvez, da próxima vez, noutra parte do mundo, do meu mundo ou do seu mundo...
Amalia Tavares Luz
12/01/2016