terça-feira, 19 de novembro de 2013

blog/amaliatavaresmensagens
:: Adília Belotti :: 



Os rituais podem ser muito simples e ainda assim serem poderosas ferramentas para a gente entrar em contato com as forças profundas que existem em nós.

Um ritual, para que serve? A pergunta cai no meu outlook... ahn, rituais são feito marcas de quilometragem na estrada do tempo, ajudam a gente a acompanhar o ritmo da vida, me arrisco... meu irmão, por exemplo, marca a passagem do tempo de trabalho para o tempo de lazer se despojando de todos os gadgets, celular, relógio, palm, aliança... sim, sim, rituais podem ser coisas muito simples, sem deixar de serem fundamentais... e nem sempre precisam ter um caráter religioso, embora seja nesses momentos de conexão com o divino que eles se mostrem em toda sua grandiosidade. 

Os rituais preservam o caráter sagrado do mundo, ensina Thomas Moore, no livro Care of the Soul, e continua, envolver as tarefas cotidianas, mesmo muito simples, num halo de imaginação e honrar o fato de que tudo pode estar a serviço da alma, torna as coisas à nossa volta mais preciosas, mais valiosas. 

Num ritual, a intenção conta tanto quanto a ação, e o poder nasce dessa sintonia. Os rituais nos transformam porque nos ajudam a abrir a porta da alma e mergulhar no mistério... ou, como explica, Joseph Campbell, os rituais preparam a mente para insights intuitivos a respeito do mistério inefável do universo: