quarta-feira, 11 de julho de 2012









 Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual
imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu
comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes
a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir
os olhos aos cegos.
Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em
que todas as coisas hão de ser restabelecidas no seu verdadeiro
sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e
glorificar os justos.
As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas,
e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos,
a vós homens, para o divino concerto. Tomai da lira, fazei
uníssonas vossas vozes, e que, num hino sagrado, elas se estendam
e repercutam de um extremo a outro do Universo.
Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de
vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração,
fazendo as vontades do Pai, que está no Céu: Senhor!
Senhor!... e podereis entrar no reino dos Céus.
O ESPÍRITO DE VERDADE


Não será à opinião de um homem que se aliarão os outros,
mas à voz unânime dos Espíritos; não será um homem,
nem nós, nem qualquer outro que fundará a ortodoxia
espírita; tampouco será um Espírito que se venha impor a
quem quer que seja: será a universalidade dos Espíritos
que se comunicam em toda a Terra, por ordem de Deus.
Esse o caráter essencial da Doutrina Espírita; essa a sua
força, a sua autoridade. Quis Deus que a sua lei assentasse
em base inamovível e por isso não lhe deu por fundamento
a cabeça frágil de um só.
Diante de tão poderoso areópago, onde não se conhecem
corrilhos, nem rivalidades ciosas, nem seitas, nem nações,
é que virão quebrar-se todas as oposições, todas as
ambições, todas as pretensões à supremacia individual; é
que nos quebraríamos nós mesmos, se quiséssemos substituir
os seus decretos soberanos pelas nossas próprias idéias.
Só Ele decidirá todas as questões litigiosas, imporá silêncio
às dissidências e dará razão a quem a tenha. Diante desse
imponente acordo de todas as vozes do Céu, que pode a
opinião de um homem ou de um Espírito? menos do que a
Sem título-1 36 13/04/05, 15:30

gota d’água que se perde no oceano, menos do que a voz da
criança que a tempestade abafa.
A opinião universal, eis o juiz supremo, o que se pronuncia
em última instância. Formam-na todas as opiniões
individuais. Se uma destas é verdadeira, apenas tem na
balança o seu peso relativo. Se é falsa, não pode prevalecer
sobre todas as demais. Nesse imenso concurso, as individualidades
se apagam, o que constitui novo insucesso para
o orgulho humano.
Já se desenha o harmonioso conjunto. Este século não
passará sem que ele resplandeça em todo o seu brilho, de
modo a dissipar todas as incertezas, porquanto daqui até
lá potentes vozes terão recebido a missão de se fazerem
ouvir, para congregar os homens sob a mesma bandeira,
uma vez que o campo se ache suficientemente lavrado.
Enquanto isso se não dá, aquele que flutue entre dois sistemas
opostos pode observar em que sentido se forma a
opinião geral; essa será a indicação certa do sentido em
que se pronuncia a maioria dos Espíritos, nos diversos pontos
em que se comunicam, e um sinal não menos certo de
qual dos dois sistemas prevalecerá.